Realizadores /

Marina Meliande

MarinaMarina Meliande nasceu em 1980 no Rio de Janeiro, Brasil. Cineasta e montadora formada pela Universidade Federal Fluminense, dirigiu, em parceria com Felipe Bragança alguns filmes exibidos em festivais internacionais: dois curtas, Por Dentro de uma Gota D’água e O Nome Dele (O Clóvis) além da Trilogia Coração no Fogo, composta pelos longas A Fuga da Mulher Gorila, lançado no Festival de Locarno 2009; A Alegria – lançado na Quinzena dos Realizadores,  Festival de Cannes 2010; Desassossego – Filme das Maravilhas – filme coletivo, lançado no Festival de Rotterdam 2011. Nos anos de 2007 a 2009 Marina foi artista residente do Centro de Arte Contemporânea Le Fresnoy (França), onde realizou duas vídeo instalações: Lettres au Vieux Monde e L’Image qui Reste. Como montadora, trabalhou em mais de 40 filmes, entre eles, Girimunho e Histórias que Só Existem Quando Lembradas. Atualmente, desenvolve o projeto de seu primeiro longa metragem solo Mormaço com o suporte da Résidence da Cinefondation, promovida pelo Festival de Cannes.

 

Felipe Bragança

FelipeFelipe Bragança nasceu em 1980. Cineasta formado na UFF, iniciou seu caminho no cinema em parceria com Marina Meliande na direção de filmes exibidos em diversos festivais internacionais: os curtas Por Dentro de uma Gota D’água e O Nome dele (O Clóvis) além da Trilogia Coração no Fogo, composta pelos longas A Fuga da Mulher Gorila, lançado no Festival de Locarno 2009; A Alegria – lançado na Quinzena dos Realizadores, Festival de Cannes 2010; Desassossego – Filme das Maravilhas – filme coletivo, lançado no Festival de Rotterdam 2011.  Em direção solo, fez ainda os curtas Jonas e a Baleia (2006), apresentado no Festival de Oberhausen, o vídeo ZAHY (2012), convidado por Apichatpong Weerasethakul para a Bienal de Sharjah 2013, e o filme-piloto Claun (Parte 1: Os Dias Aventurosos de Ayana), parte de um projeto multimídia para web e com estréia mundial no Festival de Rotterdam 2013. Como roteirista, escreveu os longas Girimunho (Helvécio Marins e Clarissa Campolina), No Meu Lugar (Eduardo Valente) e Heleno (José Henrique Fonseca), além de uma longa parceria com Karim Ainouz, como nos filmes Céu de Suely e Praia do Futuro. Atualmente está lançando seu novo  longa-metragem Não Devore Meu Coração!, que fará sua estreia no prestigiado Festival de Sundance 2017.

 

Daniel Caetano

DanielDaniel Caetano é carioca, nascido em 1975. Produziu e dirigiu o longa-metragem Conceição – autor bom é autor morto (direção coletiva), o documentário O mundo de um filme e os curtas O Velho e o Novo e Coisas Nossas.  Dirigiu também a peça de teatro A + Forte. É professor do Departamento de Artes e Estudos Culturais da UFF. Foi curador de mostras e colaborador de diversas publicações, entre elas a Revista Filme Cultura e a Revista Cinética. Organizou os livros “Cinema Brasileiro 1995-2005 – Ensaios sobre uma década” e “Serras da Desordem”, a partir do filme de Andrea Tonacci. É doutor em Literatura Brasileira pela PUC-RJ. Atualmente, desenvolve o projeto do longa-metragem Strindberg e Eu e organiza a produção do filme coletivo Rio Pegando Fogo (título provisório), do qual é também um dos diretores.